Quando se fala em marketing jurídico, o profissional logo pensa no código de ética da OAB, e isso está corretíssimo. Já que para construir essa estratégia em seu escritório de advocacia, é preciso cautela na hora de fazer uma publicidade.

Há situações em que o marketing jurídico em conjunto com uma ferramenta de vendas, é imprescindível. Entretanto, estar atento no que é permitido de acordo com a OAB e assim, será possível impedir diversos problemas pela frente.

Caso tenha aberto um escritório e esteja afim de divulgar o seu negócio, mas não sabe como, continue a leitura e saiba o que é permitido na hora do marketing jurídico.

O que é marketing jurídico

marketing jurídico digital é a forma que um profissional do direito tem de construir estratégias para agregar valor aos serviços de seu escritório.

Através do marketing jurídico, o escritório consegue promover e obter um reconhecimento da marca no mercado dentro das áreas relacionadas ao direito.

Além disso, o marketing para advogados faz com que o profissional possa acompanhar todas as tendências jurídicas, sejam as antigas ou as mais recentes.

Embora o marketing seja algo relacionado a vendas. Dentro do jurídico, isso não deve ficar explícito.

Por isso, é preciso entender sobre as melhores estratégias para divulgar os seus serviços, sem ferir o código de ética da OAB.

Visando o marketing jurídico em conjunto com algumas ferramentas de gestão, como o CRM gratuito, os serviços serão automatizados e de certa forma, irão melhorar a relação entre o cliente e profissional.

O marketing jurídico tem que ser de cunho informativo para esclarecer dúvidas aos seus potenciais clientes, gerando confiança para eles e agindo de uma forma profissional.

5 coisas que não são permitidas conforme a OAB

Visando o código de ética da Ordem Dos Advogados (OAB), é necessário entender o que não é permitido quando falamos de marketing jurídico.

Sendo assim, separamos 5 erros que não podem ser cometidos de jeito nenhum por profissionais do direito na hora de fazer o marketing do seu negócio. Confira!

  • Anunciar seus serviços na televisão ou rádio;
  • Divulgação dos serviços jurídicos em eventos sem relação a área;
  • Usar expressões de convencimento ao consumidor;
  • Divulgação de valores de honorários;
  • Fazer consultas gratuitas em sites.

Todo profissional quer ter uma boa divulgação dos seus serviços para que ocorra um aumento do número de clientes, isso é normal.

Entretanto, é preciso entender quais maneiras de marketing não são permitidas de forma nenhuma.

Anunciar os serviços jurídicos na televisão ou rádio é um erro gravíssimo, pois está no código de ética que não se deve mercantilizar os serviços do marketing jurídico, que é um dos princípios cruciais dentro da área.

Antes de pensar em anunciar qualquer serviço da profissão, é preciso entender para qual área dentro do direito seus serviços estão sendo direcionados.

Por conta disso, acompanhar o pipeline de vendas é essencial para fazer a coisa certa.

Outra coisa que é extremamente proibida é fazer a divulgação dos seus serviços, dentro de eventos que não dizem respeito à área de atuação. Isso fere totalmente o código de ética da OAB.

Algo bem comum no marketing são as estratégias de convencimento do consumidor, porém na área jurídica, isso não deve ser feito, como frases do tipo “Ligue agora”, “Oportunidade única” e “consultas mais acessíveis do mercado”.

Esse tipo de marketing, além de ser contra o que a OAB permite, também causa uma deselegância dentro da área jurídica.

Para se conseguir clientes, há outras formas que estejam dentro do código de ética. Portanto, isso pode ser feito com uma ferramenta de CRM vendas, por exemplo.

Outro erro que não deve ser cometido é divulgar os valores dos honorários publicamente. Nesse caso, é importante salientar que esses valores só podem ser ditos presencialmente com o cliente, após a avaliação do caso.

Outra proibição da OAB é realizar consultas gratuitas em sites. Isso fere o código de ética, prejudicando até mesmo a reputação do profissional.

4 coisas que são bem-vistas e permitidas pela OAB

Anteriormente, vimos o que não é permitido dentro do código de ética da OAB referente ao marketing jurídico.

Sendo assim, separamos 5 coisas que são permitidas, que são as seguintes:

  • Marketing de Conteúdo;
  • Redes Sociais;
  • Anúncios On-line;
  • Participação em plataformas de direito.

Atualmente, o marketing de conteúdo é uma das melhores formas de divulgação em qualquer área.

Dentro do âmbito do direito, isso acaba sendo essencial, já que não se deve fazer uma publicidade invasiva.

Então, o marketing de conteúdo é uma forma de trazer informações para os seus potenciais clientes, tirando dúvidas e levando o usuário a se familiarizar com os seus serviços.

Como dito anteriormente, inserir uma ferramenta CRM (Customer Relationship Management) ou Gestão de Relacionamento com o cliente, é essencial para conhecer o público, automatizar processos e melhorar os resultados dos seus negócios.

Ao acompanhar os dados dentro dos funis de venda, o profissional irá construir as estratégias de marketing de conteúdo certas para alcançar os seus clientes de uma forma não invasiva.

Outra forma de marketing jurídico permitida na OAB é a divulgação pelas redes sociais. Porém, isso deve ser feito com muita cautela, realizando anúncios onlines que sejam pagos ou gratuitos, tirando dúvidas e trazendo informações relevantes para o público.

As participações em plataformas de direito também têm sido essenciais para os profissionais do direito, o que permite uma interação com os colegas de profissão e potenciais clientes.

Agora que você já sabe o que é e o que não é permitido dentro do marketing jurídico, não deixe de divulgar seus serviços de forma ética para aumentar os seus resultados, expandindo a qualidade dos clientes fidelizados.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Markplan, site voltado para a veiculação de conteúdos relevantes sobre estratégias de negócios, pensados para abranger informações e novidades relacionadas aos maiores segmentos empresariais.